Escolas Inteligentes

sala 03

Entre os anos de 1996 e 2006 foram realizadas pesquisas educacionais e de base tecnológica que, dentre outros desdobramentos, resultaram na concepção das chamadas Salas Inteligentes (CARVALHO NETO, 2006).

Foram realizados alguns pilotos experimentais durante aproximadamente 6 anos e, posteriormente a 2008, Salas Inteligentes foram implementadas, dentre elas:

Jornal Zero Hora/Porto Alegre – RS: referência

Instituto Unibanco, Projeto Jovem Cientista: referência 

Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA): referência

As bases conceituais e tecnológicas das Salas Inteligentes, com fundamento científico, encontram-se na Dissertação de Mestrado “Espaços ciberarquitetônicos e a integração de mídias por meio de técnicas derivadas de tecnologias dedicadas à educação” (CARVALHO NETO, C. Z.) a qual pode ser acessada, na íntegra, na página ‘Academia’ deste ambiente.

Em 2006 foi elaborado um documento pelo Instituto Galileo Galilei para a educação (www.igge.org.br) no qual consta um estudo referencial relacionado ao conceito geral estruturador de Ciberarquitetura (CARVALHO NETO, 2006) do qual emergem as tecnologias das Salas Inteligentes e Aula Inteligente.

Um documento mais elaborado e completo, pode ser obtido neste acesso: ESCOLA INTELIGENTE REFERENCIAL TEÓRICO

Abaixo, resenha da obra ‘Por uma escola inteligente‘.

Por_Una_Escola_Inteligente.jpg

Por uma Escola inteligente, de Cassiano Zeferino de Carvalho Neto, IGGE, São Paulo, 2005, 128 pp.

Interesante texto que analiza el derrotero de la educación en Brasil en las últimas décadas, destacando las características del proceso de enseñanza-aprendizaje desde los años sesenta en adelante, hasta llegar al 2005. El autor parte con el esquema descriptivo de la educación de los años previos a la presencia de las TIC, enfatizando en los puntos críticos del sistema tales como la memorización, el Norte en el profesor como núcleo del saber, la excesiva teorización, los criterios de calidad de la misma y el aumento impresionante de alumnos en el sistema. Hasta llegar a la inserción de modelos educacionales computacionales en la educación pero sin una adecuada preocupación por satisfacer las demandas sociales y formativas contemporáneas. Por ello, el autor presenta y sugiere la conveniencia de insertar un Modelo de Escuela Inteligente que centrada en los requerimientos sociales, humanistas y operacionales, y con recursos y estructuras administrativas y de aula computacionales esencialmente digitales, pueda lograr el traspaso y/o creación colectiva de conocimiento con una perspectiva político-tecnológica que apoyada con un criterio de mediación social y de una fuerte valoración del trabajo en equipo, pueda orientar el proceso educativo de enseñanza básica y media, a los requerimientos actuales. Para explicitar mejor su proyecto, Carvalho Neto aporta gráficos comparativos de los modelos tradicionales con el Modelo de la Escuela Inteligente. Llama la atención el hecho de que si bien el autor analiza la educación de los niveles mencionados, en relación a su país, es perfectamente comprensible que la realidad educacional analizad es posible de extrapolar a muchos de otros países de América.

Reseña: Zenobio Saldivia Maldonado

 

Ciberarquitetura e Salas Inteligentes

Contando com o apoio de patrocinadores e voluntários e tendo como destaque a empresa Intelligent Table, de São Paulo, especializada em mobiliário corporativo, foram desenvolvidos modelos para as chamadas Estações Inteligentes e Estação do Professor. A integração de muitos dos espaços escolares em um único ambiente Ciberarquitetônico oferece inúmeras vantagens educacionais, pedagógicas, tecnológicas e econômicas. As Salas Inteligentes foram concebidas para propiciar avanços nos processos pedagógicos favorecidos pela convergência de mídias analógicas e digitais integradas pela ciberarquitetura.

O processo histórico referente ao desenvolvimento de ambientes escolares é respeitado nas Salas Inteligentes, mas oferece uma mudança significativa de paradigma aos modelos tradicionalmente empregados já que integra diferentes ambientes e espaços da escola em um único local. A sala de aula, o laboratório de informática e o de ciências, a sala multimídia e de arte, a biblioteca e outras dependências da escola são integradas nas Salas Inteligentes. Dentre os benefícios deste modelo está a eliminação da fragmentação dos processos pedagógicos que, nos modelos tradicionais escolares, acontece em locais diferentes em tempos diferentes. Nas Salas Inteligentes tudo acontece ao mesmo tempo e no mesmo lugar.

sala 03

Sala Inteligente, modelo 2007.

Ref.: CARVALHO NETO, C. Z. (2006) com Donizetti Pontim, pela Intelligent Table.

Em 2009 o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), instituição onde foram iniciadas as primeiras pesquisas sistemáticas relacionadas à Ciberarquitetura (CARVALHO NETO, 2006), implementou sua primeira Sala Inteligente, sob a Coordenação do Prof. Dr. José Silvério Edmundo Germano.  Abaixo podem ser conhecidas duas tomadas de imagens da Sala Inteligente do ITA, atualmente utilizada com fins de pesquisa em Educação Científica e Tecnológica e Digital e para aulas do Centro de Ciências Fundamentais.

 

ITA_Sala_Inteligente_Avançada

Sala Inteligente ITA, plano geral.

 

sala_inteligente_ita_1

Sala Inteligente ITA, perspectiva do professor (Dr. José Silvério Edmundo Germano)

 

sala_inteligente_ita_2

Sala Inteligente ITA: perspectiva dos usuários.

Acompanhe a seguir a montagem de uma estação Inteligente e uma estação do professor, utilizada nas Salas Inteligentes.

Crédito: CARVALHO NETO, C. Z. (2005) com www.intelligenttable.com.br 

 

Referências e Direitos Autorais

CARVALHO NETO, C. Z. Dissertação de Mestrado: “Espaços ciberarquitetônicos e a integração de mídias por meio de técnicas derivadas de tecnologias dedicadas à educação“. Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis, 2006.

Para acessar o documento completo, clique no linkCARVALHO_NETO_C_Z_Mestrado_Dissertação_UFSC

 

CARVALHO NETO, C. Z. Sala Inteligente: patente depositada no INPI. Acesse mais informações. INPI, 2009.

Versão sintética da patente, em pdf.